sexta-feira, 9 de junho de 2017

Os momentos que ficaram

 Tem algo chamado amor, que mesmo os poetas e artistas escrevendo sobre eles, fazendo músicas e pinturas, nós nunca vamos entender por completo até sentirmos. Até sentirmos aquele friozinho na barriga, até o sorriso bobo não sair do rosto, até passar noites acordada fazendo planos. Ensinam que amar é algo inevitável, e que vamos sofrer por causa disso, mas não ensinam como lidar com cada perda, cada ganho, cada alegria e cada tristeza, por que isso, afinal, é individual, cada qual sabe como lutar contra seus fantasmas e como viver seus momentos de glória.
 Ninguém ensina que depois de um término, apesar de sofrermos pra caramba, guardamos tantas coisas boas. Guardamos memórias da primeira vez que seguramos as mãos juntas, do dia que conhecemos a família um do outro, dos momentos difíceis que o outro ajudou a superar e tantos outros que se eu fosse numerar, ficaria dias aqui, e não teria fim, porque na verdade, o fim de um relacionamento não precisa ser algo ruim. Pense pelo lado bom, sempre pelo lado bom, é se dar a oportunidade de conhecer outras pessoas, outras histórias, fazer novos momentos, e mesmo assim, você pode continuar a ter aquela pessoa na sua vida, como um amigo. 
 Se alguém te disse que as coisas podem ser como antes, estão errados, nunca mais será. Sempre vai ter um ou dois pés atrás, e a amizade não será tão sólida, mas você ainda poderá contar com uma pessoa que você conhece, que já fez parte da sua vida. Vocês compartilharam momentos, que para sempre ficaram gravados, e mesmo querendo esquecer, serviram como aprendizado. Tanto os acertos quanto os erros. Não adianta lutar contra algo que já aconteceu, é melhor acostumar-se e aprender com isso. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário